Ufomammut com novo disco em 2015

Andrea Tomas Prato

Andrea Tomas Prato

O trio italiano de doom alucinogéneo, que marcou presença em duas edições do Amplifest – em 2012 com um concerto demolidor e já este ano com a projecção de XV, documentário comemorativo dos 15 anos de carreira – voltará em 2015 às edições. O sucessor do duplo disco ORO já está gravado e masterizado, tendo a primavera de 2015 como data marcada para cair nas prateleiras. Tal como ORO, o novo registo carregará o carimbo Neurot Recordings. Que voltem rápido!

VÓS, LUMINOSOS E ELEVADOS ANJOS

Capa por Micaela Amaral

Capa por Micaela Amaral


Vós, Luminosos e Elevados Anjos, a primeira obra do escritor norte-americano William T. Vollmann (publicada originalmente em 1987), é um delirante ecartoonesco exercício de fantasia e imaginação que ficciona uma guerra entre as forças reaccionárias e autoritárias que controlam o mundo (comandadas pelos inventores e proprietários dos meios de produção de electricidade) e os insectos (aos quais se alia um grupo de guerrilheiros revolucionários liderados por Bug, o herói do livro). Neste livro, a mais recente dimensão da distopia capitalista na sua fase computacional, em geral ausente das monografias literárias, é analisada pelo autor de Europe Central eThe Atlas com controversa ferocidade e sarcasmo e sem ceder ao facilitismo das soluções imaginárias. Não há mapa de fuga nem exílio possível face à neo-mitologia do projecto capitalista que, à medida que promete a salvação com a pretensa infalibilidade da tecnificação, vai impondo a crença de que o humano enquanto instância antropológica e relacional falhou.
As montanhas imersas na névoa, a floresta cerrada, o paul, a central eléctrica e o seu sistema concentracionário, o laboratório de fotografia, a piscina em ruínas, de água acastanhada e com as fundações de ferro à mostra, são as miniaturas luminescentes do mundo por onde vagueiam os anjos quase-anónimos que são as personagens-marionetas desta história. Em subtexto desvela-se um mundo hipercodificado pela ficção e pela obsessão mitomaníaca que, no entanto, se mostra insusceptível de ser dominado em absoluto pelos artefactos culturais, simbólicos e significantes produzidos pelo humano – um espaço inanimado e inerte que apodrece sob o espectro da insidiosa invasão da vegetação selvática, hostil e resoluta que cresce nas suas entranhas.

A primeira obra do escritor norte-americano William T. Vollmann vê a luz do dia graças ao excelente trabalho e dedicação dos nossos amigos Manuel Neto (Terminal Tower) e Micaela Amaral (Ken Vandermark & Paal Nilssen-Love, Gira, etc). Se ainda procuram uma prenda única para alguém especial, o livro já está disponível aqui na editora e brevemente nas livrarias.

Na imaginação de W. T. Vollmann – Artigo no Público

Process of Guilt: o último concerto do ano é amanhã em Benavente

Depois da tour ibérica de apresentação do split com os Rorcal e de passagens por festivais como o Reverence Valada, os Process of Guilt fecham amanhã o ano de 2014 num palco que não lhes é estranho: o do Side B, em Benavente. Os Painted Black e O Cerco dão início à noite, com os concertos a começarem pelas 21h30.

Apareçam para um “até para o ano” banhado a headbanging \m/

 

Top 2014

main-eguucddt5-271985-500-334

There is never any end. There are always new sounds to imagine; new feelings to get at. And always, there is the need to keep purifying these feelings and sounds so that we can really see what we’ve discovered in its pure state. So that we can see more and more clearly what we are. In that way, we can give to those who listen the essence, the best of what we are. But to do that at each stage, we have to keep on cleaning the mirror.
John Coltrane

É incontornável: final do ano e nós, melómanos, temos esta necessidade de partilhar os discos que mais gostamos. Não se trata duma competição, trata-se de espalhar a palavra. E, sejamos sinceros, é também uma forma de nós deste lado percebermos que bandas vocês querem ver por cá e trabalharmos nesse sentido.

Dito isto, partilhem os vossos tops com todos nós: saquem este Excel, preencham-no e enviem-nos para amplificasom@gmail.com. Postaremos o resultado dia 2 de Janeiro por isso tentem enviar até dia 31 no máximo. Obrigado. Foi um ano do caralho. Até já*
___
You know how it goes: it’s the end of the year and we, as music lovers, tend to feel the need of sharing with one another which records we enjoyed the most in the last twelve months. It’s not some sort of competition – it’s about spreading the word about what we love. And, let’s be honest, for us is also a way to understand which bands you want to see, so we can try and make that happen for you.

All that said, share your 2014 top records with us: download this spreadsheet, fill it in and send it over to amplificasom@gmail.com. We will post the overall results on January 2, so please send it until the 31st of this month. Thank you. It was a fucking great year. See you soon*

Russian Circles + Helms Alee

Poster by Münster Studio

Poster by Münster Studio

RUSSIAN CIRCLES + HELMS ALEE
16-04-2015, QUINTA (DATA ÚNICA EM PORTUGAL)
RCA CLUB, LISBOA
PORTAS 20:00
INÍCIO 21:00

Bilhetes (20€) já à venda online na Amplistore e muito em breve nas lojas Carbono Amadora, Carbono Lisboa, Glamorama e Flur.

Evento Facebook

rcOs Russian Circles são já parte integrante da família Amplificasom: a ligação é sanguínea, inabalável e recíproca; não obstante um Atlântico de distância, visitam-nos sempre que possível, trazendo-nos as malas cheias do melhor souvenir: a sua música. Crescemos como promotores, como público, e vimo-los crescer como banda, desde a sua estreia por cá, em 2008, até à graduação no palco maior do Amplifest, em 2013. Para o reencontro, e assinalando também a primeira apresentação em Lisboa do mais recente álbum Memorial, a próxima celebração da mestria instrumental dos Russian Circles está agendada para uma data única no RCA Club, na próxima noite de 16 de Abril.

A acompanhar os Russian Circles, os seus parceiros de viagem Helms Alee farão a sua estreia em Portugal e mostrarão o porquê da sua discografia — com ênfase no novo rebento Sleepwalking Sailors — ser um dos mais bem guardados segredos do sludge, acasalando o peso catchy da escola Melvins com a mordacidade do melhor indie rock.

Site Russian Circles · Facebook Russian Circles· Bandcamp Russian Circles
Bandcamp Helms Alee · Facebook Helms Alee

A última passagem dos Russian Circles foi no Amplifest 2013:

Jorge Silva 2013

Jorge Silva 2013

Dada a intensidade dos concertos, têm sempre casas cheias à sua espera e desta vez não foi excepção. A concentração de pessoas na Sala 1 nos momentos que antecederam o concerto espelhava bem o quanto se ansiava por um concerto de uma banda tão adorada por tantos e que, ainda por cima, tem disco novo na calha. É sempre um privilégio poder ver os Russian Circles em palco, especialmente com uma setlist escolhida a dedo para a ocasião. Entre uma animalesca bateria em Schipol ou uma arrebatadora Harper Lewis, tocamos em Memorial, o novo álbum, através de faixas já dadas a conhecer. Ouviu-se Deficit e Ethel, carregadas por uma atmosfera mais sombria e arrastada. Mas a grande surpresa estaria reservada para o encore, quando a rainha Chelsea Wolfe sobe ao palco para cantar o tema que dá nome ao disco, que resultou num dos momentos mais bonitos que as três edições do Amplifest já presenciaram. De olhos brilhantes veneramos quatro enormes músicos numa união perfeita, comovente, arrebatadora.
in Arte-Factos

Os Russian Circles estão cada vez mais irrepreensíveis.
in Ponto Alternativo

Finalmente, os Russian Circles fecharam o festival com uma actuação para a maior enchente que se viu naqueles dois dias, entregando uma chapada de mão fechada a todos quantos ainda se aguentavam nas pernas por força do riff e da pujança rítmica do seu baterista.
in Bodyspace

The band has being growing not only in recognition but also musically. Presenting their new record, Memorial, the band gave, as always, an energetic and gripping show with the Portuguese public supporting the power-trio.
in Cvlt Nation

Press: press@amplificasom.com
+ info: amplificasom@gmail.com

Amplificasom: fim-de-semana negro

lightbox-pic-amplitalkEsqueçam a black friday, este fim-de-semana é todo negro. Nós explicamos: em 2015, mais propriamente a 16 de Abril, 5 e 6 de Maio, a Amplificasom receberá por cá belas bandas. O preço de cada concerto será de 20€, mas de hoje até segunda-feira dia 8 cada evento terá o custo de 15€ e só pode ser adquirido na Amplistore. Não podemos revelar mais nada, fica ao v/ critério :-)
O link em baixo levam-vos à Amplistore:
16 de Abril – ? – Lisboa
5 de Maio – ? – Lisboa
6 de Maio – ? – Porto

HHY & The Macumbas: concertos em Janeiro

macumbascover01-2 copy

Também lhes vimos alguns concertos: uma torrente de percussão, metais dardejando melodias, reverberações espiralando pelo espaço sónico, máscaras escondendo o rosto dos músicos. Throat Permission Cut, o disco de estreia, é resultado dessa experiência de palco, da música em roda livre.

Mário Lopes, Público

Primavera Sound, Sónar, Milhões de Festa, Amplifest e tantos outros: Throat Permission Cut nasce dos palcos e, em Janeiro, aos palcos voltará. Mais pormenores sobre cada uma das datas serão revelados muito em breve, mas as próximas voodoo raves dos HHY & The Macumbas têm já lugares marcados no calendário:

– 16 de Janeiro, sexta @ Salão Brazil, Coimbra
– 17 de Janeiro, sábado @ Musicbox, Lisboa
– 21 de Janeiro, quarta @ Maus Hábitos, Porto

“… one of the best musical weekends of the year.”

rockarolla 52 COVER.indd

Already on its fourth edition, Amplifest offers us its best bill ever (…) one of the best musical weekends of the year.

The new Rock-A-Rolla edition (cover above) has a priceless two-pages review of Amplifest. If you haven’t already, you should definitely buy it here.

KATABATIC no Dunk! Festival 2015

O belga Dunk! Festival tem como tagline a frase Europe’s finest post-rock festival e não poderíamos concordar mais com tal assunção. Para a edição de 2015, e a na companhia de bandas como Caspian, Year of no Light, Jakob e Labirinto, os KATABATIC rumam à cidade de Zottegem. A data em que os lisboetas sobem ao palco é 15 de Maio. Vemo-nos lá?

Dunk! Festival