Pharmakon Announces New Album Bestial Burden

Margaret Chardiet, aka Pharmakon, will release a new LP this year to follow-up last year’s Abandon. It’s called Bestial Burden, and it’s out October 14 via Sacred Bones. Here’s the trailer directed by Jacqueline Castel:

Bestial Burden was written while Chardiet was recovering from major surgery – the reason why she was forced to cancel Amplifest 2013. It was recorded with Sean Ragon, who she worked with on Abandon, at Heaven Street in Brooklyn. In a press release, Chardiet described how her hospital stay inspired the album:

After seeing internal photographs taken during the surgery, I became hyperaware of the complex network of systems just beneath the skin, any of which were liable to fail or falter at any time. It all happened so fast and unexpectedly that my mind took a while to catch up to the reality of my recovery. I felt a widening divide between my physical and mental self. It was as though my body had betrayed me, acting as a separate entity from my consciousness. I thought of my corporeal body anthropomorphically, with a will or intent of its own, outside of my will’s control, and seeking to sabotage. I began to explore the idea of the conscious mind as a stranger inside an autonomous vessel, and the tension that exists between these two versions of the self.

Pharmakon will play Amplifest on October 4th!

YOB: CLEARING THE PATH TO ASCEND CD PREORDER BUNDLES NOW AVAILABLE

James Rexroad

Two years after leveling the expectations of critics and listeners alike with Atma, Portland doom bringers, YOB, prepare to unleash Clearing The Path To Ascend, an aptly titled album for what will undoubtedly be the crowning achievement for a band whose journey now nears two decades of creating music as commanding as it is cathartic. As is the YOB way, the tracks here don’t simply offer a vacuous glimpse into the already riff-soaked doom genre. These songs demand the tandem attention of mind, body, and soul – etching a mark across a sound that finds YOB as formidable and unequaled as they’ve ever been. True ascension requires a destruction of those barriers that prevent any movement forward. Unsurprisingly, YOB pummels any and all of these obstacles with absolute authority, clearing the way for a genuinely visceral listening experience and climbing upward into a realm that sets the band in a heavy metal place that has been and will always remain wholly their own.

Recorded at Gung Ho Studio in Eugene, notorious for its reserve of vintage equipment, alongside longtime collaborator/iconic sound-sage Billy Barnett, and mastered by Brad Boatright (Sleep, Beastmilk, Nails) at Audiosiege Engineering, YOB will release Clearing The Path To Ascend on CD and digitally via Neurot Recordings on 1 September, and on vinyl via Relapse Records on 2 September.

Clearing The Path To Ascend preorder bundles are currently available:
For CD orders
For special T-shirt bundles

YOB will bring their riff domination to AMPLIFEST 2014 on October 4th \m/

AMPLIFEST 2014: DAVID D’ANDREA

Artwork by André Coelho

David D’Andrea
Louie Louie – Rua do Almada, 307
September 6th to November 6th

A perfect and unearthly balance between the sacred and the secular and an ability to use the profane as heavenly. This is David V. D’Andrea in a nutshell, a renowned artist whose portfolio speaks for itself, not only through its hauntingly beautiful imagery but through all the artist he’s been working with. The north-american designer is an artists artist, collaborating with OM, Wovenhand, Godspeed You! Black Emperor, Earth and even the film director Lars Von Trier. After the Amplifest 2013 exhibition last year at Hard Club’s mainfloor, it’s time for a two months exhibition at our favourite record store Louie Louie.

Note: Buy one or more of his works for you home/ office.

Jorge Silva captured some friends and David's exhibition at Amplifest 2013

David D’Andrea
Louie Louie – Rua do Almada, 307
6 de Setembro a 6 de Novembro

David V. D’Andrea não é apenas um designer, não é apenas um comunicador, nem tampouco se pode delimitar no que quer que se compreenda como arte. A função é, e sempre será, um meio para a expressão do artista norte-americano, que consegue construir no sagrado, a profanidade e secularidade da humanidade – algo que o casou tão bem com pares musicais como Al Cisneros e os seus OM e Sleep, com Godspeed You! Black Emperor, Earth e Agalloch, e nomes como Lars Von Trier. Depois do Mainfloor do Hard Club no Amplifest 2013, a loja de discos Louie Louie vai ser a casa perfeita para o negro vestido de cor de D’Andrea.

Nota: é possível comprar na hora qualquer dos trabalhos expostos.

AMPLIFEST 2014: TERMINAL TOWER

Artwork by André Coelho

Terminal Tower
Hard Club
October 1st to 31st

André Coelho – the tireless designer behind Amplifest’s artwork – teamed up with writer Manuel João Neto to bring the graphic novel Terminal Tower to life. Out now via underground cult publishers Chili Com Carne, Terminal Tower tells the tale of a lone man trapped and isolated on the top a tower; focusing on the character’s delirium and paranoia, the book references the decadent imagery present in the works of Enki Bilal and J.G. Ballard, and also in Industrial music – after all, both authors also collaborate on the Portuguese band Sektor 304. The illustrations found in Terminal Tower will be exhibited in Hard Club’s Mainfloor during the Amplifest weekend and will remain there until the end of October.

Terminal Tower
Hard Club
1 de Outubro a 31 de Outubro

André Coelho – o incansável designer responsável pelo artwork do Amplifest – uniu-se ao escritor Manuel João Neto e juntos fizeram nascer o romance gráfico Terminal Tower. Recentemente lançado pela editora de culto Chili Com Carne, Terminal Tower narra a história de um homem preso e isolado no topo de uma torre; concentrando-se no delírio e na paranóia desta personagem, o livro faz referência ao imaginário decadente presente nas obras de Enki Bilal e J.G. Ballard, e também na música Industrial – afinal de contas, ambos os autores colaboram também na banda portuense Sektor 304. As ilustrações de Terminal Tower estarão em exibição no Mainfloor do Hard Club durante o Amplifest – estadia essa que será prolongada até ao fim do mês de Outubro.

“Um dos melhores discos dentro do género que ouviremos este ano”

Abalam é, até ver, um dos melhores discos dentro do género que ouviremos este ano – não só porque não se presta a clichés nem entra na moda do pós-rock/shoegaze como também porque pega nas suas bases e incute-lhe influências de outros campos sem o desvirtuar. Trinta e cinco minutos sem pausas para respirar, treze faixas quase todas elas com menos de três minutos e um enxerto de porrada nos tímpanos de quem tiver a coragem de os ouvir. Não é difícil: está disponível para sacanço no Bandcamp dos moços. Que o Grande Bode esteja convosco.

A crítica do Bodyspace aqui.

Amplificasom agenciou: Chelsea Wolfe e Jambinai no Sinsal San Simón

Como sabem, o alinhamento é sempre secreto. Imaginem só: compram um bilhete, atravessam de barco e assim que chegam a esta maravilhosa ilha descobrem o cartaz. Já por lá agenciamos Secret Chiefs 3, Alt-J, L’Enfance Rouge, Al-Madar, etc etc e este ano foi um grande prazer levar a Chelsea Wolfe e os sul coreanos Jambinai até San Simón.

 

 

“Estão ansiosos por tocar no festival Milhões de Festa?”

Estou muito entusiasmado por tocar no Milhões de Festa! Sempre quis visitar Portugal e agora finalmente apareceu a oportunidade. Os fãs da nossa banda em Portugal têm sido espectaculares connosco na internet e noutros concertos internacionais. Desculpem-nos por termos levado tanto tempo.

Os Earthless estreiam-se finalmente em Portugal! Hoje, às 23:20, no Milhões de Festa! Até lá, podem e devem ler a entrevista do Arte-Factos aqui.

 

 

 

Não te deixarei morrer, Matt Pike.

No ano passado tive a oportunidade de me estrear no Roadburn. Num final de tarde já escuro encontrei o Matt Pike cá fora, sentado e sozinho, a comer algo bem quente das roulotes. Meti-lhe a mão no ombro e enquanto ele se virava agradeci-lhe pelo grande concerto que tinha acabado de ver, disse-lhe ainda que estava mais do que na hora de irem a Portugal e acrescentei “decora bem a minha cara, vamo-nos ver em breve”. Ele sorriu e atirou um “fuck yeah, take us there man”. Chegou o dia: High on Fire, HOJE, em Portugal! 1h10, Milhões de Festa, em Barcelos. Onde quer que estejam a ler estas linhas, garanto-vos que têm tempo para se fazerem à estrada e marcarem presença. Far-se-á história.

 

 

Chelsea Wolfe HOJE no Milhões de Festa!

Cláudia Andrade

Jorge Silva

Maria Louceiro

Nuno Bernardo

Sandrine Martins

Lais Pereira

Pedro Roque

Porfírio Azevedo

Walter Hoeijmakers

Recolhemos as melhores fotos da Chelsea Wolfe no Amplifest 2013. Recordar sabe bem, mas não há comparação quando temos a oportunidade de a ver novamente ao vivo. É hoje, no Milhões de Festa!

 

 

 

Putan Club hoje no Milhões de Festa e amanhã no Bartô do Chapitô!

Jorge Silva @ Amplifest 2013

Quem abandona a zona de conforto, i.e. o palco, e se espalha pela plateia, é digno de lograr pontos positivos. Recordando, pela sua insânia, as fanáticas noites à Lightning Bolt ou à Monotonix, o duo ​ ​Putan Club fez o que quis da Sala 2: a baixista, empurrando quem encontrava, colocou-se num vértice. François Cambuzat, o homem L’Enfance Rouge, situou-se noutro. O público, esse, deixou que as paredes fossem amortecedores e o stage o seu sofá de início de madrugada. Houve noise, houve pulsar industrial.
in Ponto Alternativo

Para muitos o festival terminou com chave de ouro na Sala 1. Para aqueles que ainda tinham alguma energia e se dirigiram à Sala 2, houve ainda a surpresa de ver Putan Club a tocar em plena plateia. Um final dançável pela mão de François Cambuzat na guitarra e voz, acompanhado de uma carismática baixista italiana.
in RUC

Putan Club, banda do guitarrista e vocalista dos queridos da Amplificasom, L’Enfance Rouge. A primeira grande surpresa do concerto foi a disposição dos músicos na sala, ao contrário do habitual palco, usaram a plateia, tornando assim um ambiente mais caótico e intimo. O público reuniu-se à volta deles e foi atacado por uma mistura de noise rock/no wave com batidas industriais, com uma energia extremamente agressiva e contagiante, tornando impossível não ser infectado pelo espírito depravado da entrega dos Putan Club ao concerto. Espero sinceramente que esta não seja a última vez que os vejo.
in Festivais de Verão

Por fim, coube aos Putan Club fechar os concertos do festival. Descartando a ideia de palco ao tocarem junto do público, esta dupla de baixo e guitarra num estilo rock quase industrial acabou por se revelar uma boa surpresa, e uma óptima maneira de terminar o festival.
in Ruído Sonoro

 

 

 

Chelsea Wolfe will bless us again tomorrow!

Maria Louceiro

Chelsea Wolfe, who by the end of the first sentence she utters into the mic has the entire Amplifest curled up in her hands begging for more. She has blossomed into a true diva but not at the expense of the mystery and evocative power of her songs, and so it’s a grandiose concert that the beautiful city of Porto is blessed with tonight.

This is what Rock-A-Rolla Magazine wrote after her show at Amplifest 2013. Well, the one and only is back to Portugal: tomorrow 25th at Milhões de Festa. + info

 

 

Myriad de Maria Louceiro

A myriad tem como significado um número infinito de coisas, porém aqui, representa um fragmento e seguimento da série Natureza Humana, a contínua exploração da relação do Humano com a Natureza.
Maria Louceiro nasceu no Porto, estudou Engenharia de Minas e Geo-Ambiente mas tinha mais interesse em desenhar e fotografar as minas do que trabalhar nelas. Hoje em dia trabalha como designer, ilustradora, e fotografa muito mais do que minas.

Nós dizemos o que a Pickpocket Gallery não disse: a Maria Louceiro é uma das melhores fotógrafas neste momento em Portugal, a Maria Louceiro é enorme! Posto isto, se forem de Lisboa ou passarem pela capital entre hoje e 9 de Agosto, não percam!

Toda a info aqui.

 

 

“If you’re in that part of the world at the beginning of October, consider yourself fortunate.”

The Obelisk, who considered Amplifest as a badass European fest, recommends you to come if you’re around. We go further: event if you aren’t, you should definitely check the following low-cost air companies where in most of the cases you can fly for 20€ or 30€/ return flight:
Ryanair (more than 30 routes to Porto, picture above);
Easyjet;
Vueling;
Transavia;
Better, check Skyscanner and JOIN US ;)

 

 

 

RA | «O Inferno São Os Outros» • Remix by Necro Deathmort

Artwork by Marta Macedo

RA, a Portuguese-born solo endeavour headed by Ricardo Remédio, transmutes the human restraints, the narrowness of our natural reach, into a digital and sidereal electronic throb. Its first EP, «Rancor», came out two years ago through the evergrowing label Lovers & Lollypops, gathering much positive acclaim.

The record’s four songs were reinvented through national and international entities – Daniel O’Sullivan [Ulver, Grumbling Fur, Mothlite] took care of «O(s) Cobarde(s)», the EP opening track; the second one, self-titled, was recrafted by Blac Koyote, while Justin K Broadrick gave his abstractionist print to «Paz Podre».

The fourth, and final movement, is completed by Necro Deathmort. The British duo deconstructs the spinal cord of «O Inferno São Os Outros» [Hell Is Other People, in English], engrafting their own shadowy dub into it.

With the remixing cycle now concluded, RA is already engineering his next studio step. All to be revealed soon.

OUVIR/ LISTEN

Quando Sarte afirmou que o inferno mora no alheio, de indirecta forma depositou em nós o ónus da culpa. Apontou a víbora e o seu veneno, mas logo nas entrelinhas perguntou a razão de nos deixarmos morder pelo escárnio e maledicência. Vivemos das palavras alheias. De portas escancaradas para a aflição.

RA encontra-se na ausência verbal, onde a sintaxe punitiva dá lugar à electrónica desumanizante. O EP de estreia, ardósia digital de quatro movimentos, fecha com «O Inferno São Os Outros» – construção agora refundida nos sombrios alicerces dub de Necro Deathmort.

Os britânicos assinam a derradeira remix extraída desse primeiro passo discográfico, após Daniel O’Sullivan, Blac Koyote e Justin K Broadrick terem chefiado as restantes.

 

 

 

AMPLIQUIZ: Guess the band and go to Amplifest for free!

From tomorrow until September 29th, at 3pm, we’ll post a pic per day at Amplifest’s Facebook page. Be the first to guess the name of the band and the one who collects more wins will go to Amplifest for free.
1st place: Amplifest weekend ticket
2nd place: One Post-Amplifest Session ticket
3rd place: T-shirt

Example above: Swans, obviously :-)

 

 

 

AMPLIFEST 2014: CHELSEA WOLFE – LONE (a film by Mark Pellington)

Artwork by André Coelho


Lone works as a cinematic counterpart of Chelsea Wolfe’s latest album Pain is Beauty, but it stands perfectly on its own as a beautiful and enthralling art piece. Crafted both by Wolfe herself and renowned director Mark Pellington, Lone brings to a visual dimension all the distinctive factors in Chelsea Wolfe’s music: beauty in darkness, innocence and violence. Following her memorably breathtaking show at last year’s Amplifest, we will again be delighted by Chelsea Wolfe’s art, this time on screen.

Funcionando também como uma analogia visual para o mais recente disco de Chelsea Wolfe – Pain is Beauty, de 2013 – Lone é uma bela e cativante peça de arte no seu pleno direito. Saído das mãos da própria Chelsea Wolfe e do reconhecido realizador Mark Pellington, Lone transporta para a dimensão do cinema todas as características da música de Chelsea: a beleza na escuridão, a candura e a violência. Após um memorável e assombroso concerto na passada edição do Amplifest, a arte de Chelsea Wolfe retornará – desta feita no ecrã do Hard Club – para nos voltar a enfeitiçar.

AMPLIFEST 2014

 

 

AMPLIFEST 2014: MARCH OF THE GODS – BOTSWANA METALHEADS (a film by Raffaele Mosca)

Artwork by André Coelho

Heavy Metal music is, unquestionably, a product of western culture – but the anger that leads to such an extreme way of expression is universal. ‘March of the Gods’, directed by Raffaele Mosca, is a rockumentary that portrays the thriving Metal scene in Botswana, a sparsely populated, and mostly deserted, country in Southern Africa. With a focus on the story of Wurst, one of Botswana’s most popular metal bands, the film shows us how such an orthodox music style can blend with African traditions and create a microcosm full of passionate and peculiar characters.

O Heavy Metal é, inquestionavelmente, um produto da cultura ocidental – mas a raiva que conduz a uma tão extrema forma de expressão é um sentimento universal. ‘March of the Gods’, de Raffaele Mosca, é um rockumentary que retrata a cena Metal no Botswana, um magramente povoado, e largamente desértico, país da África Austral. Com foco na história dos Wurst, uma das mais populares bandas de metal do Botswana, o filme mostra-nos como um tão ortodoxo estilo de música se pode cruzar com as tradições africanas e criar um microcosmo fértil em entusiastas e peculiares personagens.

AMPLIFEST 2014

 

 

Earthless: uma semana para o Milhões de Festa!

Uma semana, falta uma semana! A tão aguardada estreia dos Earthless em Portugal acontecerá no próximo domingo, último dia do Milhões de Festa, e promete ficar na memória. O shred psicotrópico de Isaiah Mitchell e a infalível secção rítmica de Mario Rubalcaba e Mike Egington vão levar Barcelos a viajar pelo cosmos. Está quase! + info

 

Amplificasom agencia Putan Club: a tour começa hoje!

O francês François R. Cambuzat é o criador do Putan Club, o clube da résistance iconoclasta e revolucionária que rejeita os cânones da indústria musical, preterindo a edição de discos para abraçar a performance ao vivo como estado puro da arte. Com a italiana Gianna Greco forma um duo poderoso, mais punks que punks, de raízes noise que tanto vão ao techno e dubstep como ao rock industrial. No Amplifest, surgiram relatos de epopeia à la Monotonix ou Lightning Bolt, pois a dupla franco-italiana enfrentou o público de frente e sem a superioridade física de um palco a elevá-los, mas elevando neles as temperaturas a um estado de combustão espontânea, só com uma guitarra e um baixo. De Putan Club há uma certeza: é puta(n) festa!
Texto Milhões de Festa

2014-07-25 – Bartô do Chapitô, Lisboa
2014-07-24 – Milhões de Festa, Barcelos
2014-07-23 – Bar Labranza, Vigo
2014-07-20 – Ibu Hots, Vitoria

 

 

High on Fire: uma semana para o Milhões!

Passaram por Portugal há uns anos com os Metallica num concerto na sala errada e com um PA abaixo das suas possibilidades. Conta? Não cremos, mas de hoje a uma semana far-se-á história. Senhores e senhoras, os High on Fire de Matt Pike estreiam-se em Portugal no próximo Sábado 26 no Milhões de Festa! + info

 

 

Chelsea Wolfe: uma semana para o Milhões de Festa!

Nuno Bernardo @ Amplifest 2013

Chelsea Wolfe foi rainha e arrebatou na sua estreia em solo nacional. Bastaram as primeiras notas de Feral Love para perceber porquê. Com o seu mais recente disco na bagagem, impôs a sua presença hipnotizante em palco, comovendo uma plateia ávida de sugar toda a energia que emanava. Apesar do concerto ter sido maioritariamente centrado em Pain is Beauty, não importou ter ficado esta ou aquela de fora. Poder apreciá-la e receber o que tem para nos dar é uma dádiva. Felizes aqueles que a conseguem receber. Obrigado, Chelsea, pelo momento extraordinariamente emotivo, que ainda custa verbalizar.
in Arte-Factos

 

 

 

“Mike Scheidt is a volcano; the band is transcendentally loud. I feel transported after a lot of shows, but that one felt like church.”

Jorge Silva

Even now that we’re just pals and not palentines, The Unreal Never Lived is probably the only album P and I get equally rabid about. It’s hard to single out a track to focus on—we’ve gone through the whole LP many, many times in that van—but “Grasping Air” is the heaviest and thus his favorite. That’s what happens when you date someone who’s been steeped in metal since puberty: you don’t share songs so much as you share mosh pits, bruised shoulders, deep cesspools of noise.

Eight songs and stories from broken relationships. YOB is love. October 4th. Amplifest. Keep reading here at Consequence of Sound.

 

KATABATIC em entrevista ao bodyspace.net

 

A nossa ligação à Amplificasom não surge por acaso, é algo que já vem desde 2007 e grande parte do nosso crescimento como banda foi sendo acompanhado e partilhado com eles, porque cedo percebemos que tínhamos ideias comuns em relação ao que pretendemos entregar ao público que nos ouve e qual a melhor forma de o fazer.

Os Katabatic em entrevista ao bodyspace.net, para ler aqui.

O novo EP ‘Weighs Like A Nightmare On The Brains Of The Living’ terá edição física (em vinil preto) em breve;  por enquanto pode ser ouvido, por exemplo, no Spotify.

 

QUERES TOCAR COM O TIM HECKER, KADAVAR, MAYBESHEWILL E AINDA NO AMPLIFEST 2015?

Tenhas uma banda ou não, decide quem subirá ao palco das Post-Amplifest Sessions.
A votação é simples: durante o AMPLIFEST 2014, que acontece a 4 e 5 de Outubro, vamos disponibilizar (só para quem tem bilhete) uma forma de escolherem livremente quem querem ver a partilhar o palco com os seguintes artistas:

26/10/2014 – HARD CLUB, PORTO
POST-AMPLIFEST SESSION: TIM HECKER

29/10/2014 – HARD CLUB, PORTO
POST-AMPLIFEST SESSION: KADAVAR

06/11/2014 – GARE, PORTO
POST-AMPLIFEST SESSION: MAYBESHEWILL

Condições:
Este é um passatempo exclusivo para bandas nacionais;

Não vamos sugerir qualquer projecto/ banda, vocês escolhem e decidem. No fim, as bandas que tiverem reunido mais votações vão tocar nos respectivos eventos e no… Amplifest 2015!

Os elementos da Amplificasom também votarão;

As bandas não deverão usar os eventos/ murais da Amplificasom/ Amplifest para se auto-promoverem;

Após a contabilização dos votos, a Amplificasom/ Amplifest contactará as bandas/ projectos vencedores logo após o final do evento e espera anunciar os mesmos na quarta-feira 8 de Outubro;

A Amplificasom/ Amplifest não garante qualquer remuneração para as Post-Amplifest Sessions. Fazemos isto para vos picar, para que saibam e sintam que estamos convosco. Infelizmente, não temos mesmo margem, mas entre apoiar-vos e não ter banda de abertura preferimos a primeira;

A actuação no Amplifest 2015 será remunerada. As condições serão negociadas entre organização e banda/ projecto no momento oportuno;

Em ambos os casos, a Amplificasom/ Amplifest garante sempre catering, refeições e alojamento (caso o projecto/ banda seja de longe);

Em actualização.

AMPLIFEST 2014: AMPLITEAM

Jorge Silva @ Amplifest 2013

Do you want to be a part of AMPLIFEST 2014? We need you to be a part of our team and spread the word about it in your city. We will provide you with all the info and promotion material, you only need to email to amplificasom@gmail.com and tell us what you can/want to do. Be creative, we’re not just looking for someone to hand out flyers.
And then, on the first weekend of October, we will count on you to join us again… but just to enjoy the festival. For free, of course. \m/

+ INFO

Queres fazer parte do Amplifest 2014? Precisamos de ti, precisamos que vistas a camisola e que espalhes a palavra na tua cidade. Disponibilizaremos toda a informação e material de promoção, só tens que nos enviar um e-mail para amplificasom@gmail.com e dizer-nos o que podes/ queres fazer para divulgar o AMPLIFEST 2014. Sê criativo, não pretendemos apenas alguém para distribuir flyers.
Chegando o primeiro fim-de-semana de Outubro, contamos novamente contigo… mas apenas para desfrutar. Entrada livre, claro. \m/

 

 

AMPLIFEST 2014: URFAUST

Artwork by André Coelho


Ever since Geist Ist Teufel came out, more than a decade ago, Dutch duo Urfaust have been taking black metal a step further, employing it as a means to spiritual enlightenment. Every component in Urfaust’s music plays a part in the exorcism: IX’s ice-cold riffing and idiosyncratic vocal output – lying somewhere between a desperate howl and a demented Gregorian monk’s chant – locks together with VRDRBR’s mid-paced, minimalistic and trance-inducing drumming to conjure a black magick experience that reeks of sulphur and nihilism. Only for true clochards, Urfaust’s infamous rites of intoxication will douse Hard Club in inebriating vapours and drive Amplifest into collective madness.

Facebook · Video · AMPLIFEST 2014

Desde a estreia com Geist Ist Teufel, há mais de uma década, que os Urfaust erguem o seu black metal à condição de, mais do que música, um meio para atingir um negro estado de elevação. Cada elemento é uma peça essencial nesse exorcismo: os riffs gélidos saídos da guitarra de IX e as suas vocalizações – algures entre um tortuoso uivo e o canto de um enlouquecido monge Gregoriano – reúnem-se ao hipnótico minimalismo rítmico do baterista VRDRBR para conjurarem uma niilista aura de magia negra envolta em nuvens de enxofre. Em Outubro, o blasfemo ritual de intoxicação dos Urfaust impregnará o Hard Club em inebriantes vapores, levando o Amplifest ao desvario colectivo.

AMPLIFEST 2014: CULT OF LUNA

Artwork by André Coelho


After curating ‘Beyond the Redshift’, then playing our remaining festival shows, we thought that would be it for Cult of Luna live in 2014; however, closing Amplifest 2014 was an offer too good to resist. It’s an honour to share the bill with some of our favourite bands. See you in Porto!

Many have tried to follow their footsteps, but the crown of post-metal kingdom still rightfully rests on Cult of Luna’s head. 2013’s Vertikal, the latest record on a discography that comprises essential pieces like Salvation or Somewhere Along the Highway, marked a turning point on the band’s sound, progressing to a less atmospheric and more industrial ambience. The crushing heaviness and intensity that Cult of Luna display on their records are even higher on a live setting, and with the announcement that Cult of Luna would cease being a touring band after the Vertikal tour, their shows have become increasingly sparse with each one of them becoming a special occasion – like their appearance at this year’s Amplifest, their last show of 2014 and probably their last in Portugal for a long, long time.

Site · Facebook · Video · AMPLIFEST 2014

Apesar do incontável número de bandas que seguem as suas linhas mestras, a coroa do post-metal assenta ainda firme sobre a cabeça dos Cult of Luna. Com Vertikal, a mais recente diligência numa discografia que compreende peças essenciais como Salvation ou Somewhere Along the Highway, o som da banda progrediu para um ambiente menos atmosférico e mais industrial do que nos discos anteriores, condição que exacerba o peso avassalador e a intensidade da arte dos suecos. Ao vivo, estas características tornam-se ainda mais evidentes e, desde que a banda deixou, após a digressão de apresentação de Vertikal, de efectuar concertos com regularidade, cada um deles constitui um raro e especial momento de celebração – e o retorno dos Cult of Luna ao Porto, durante o Amplifest, com o Hard Club a recebê-los para o último concerto de 2014 e uma provável despedida dos palcos nacionais durante um longo período, não será excepção.

AMPLIFEST 2014: BEN FROST

Artwork by André Coelho

Ben Frost tears down every possible limit in music, rebuilds them in places before unknown, and proceeds to destroy them again. Like a missing link between man and machine, the Australian born and Iceland-based visionary stacks a multitude of sound sources and samples, resulting in a meticulous cacophony that is bleak, dissonant and disturbing but ultimately captivating. His latest work A U R O R A adds disfigured beats to the clouds of white noise and menacing drones displayed on earlier works like Theory of Machines or By The Throat, which makes his work even more unsettling. At Amplifest, Ben Frost will give us a glimpse into the future.

Site · Facebook · Video · AMPLIFEST 2014

Ben Frost derruba todos as fronteiras da música e volta a construí-las em regiões díspares e desconhecidas, apenas para as destruir de novo. Como um elo perdido entre Homem e Máquina, o visionário músico australiano radicado nas paisagens da Islândia aglomera uma catadupa de fontes sonoras numa meticulosa cacofonia – sombria mas multicolor, dissonante, perturbadora. Numa progressão natural da sua discografia, os lençóis de estática e os ferozes drones de discos como Theory of Machines ou By The Throat misturam-se, no mais recente disco A U R O R A, com batidas desfiguradas num atropelo de distorção, tornando o trabalho de Ben Frost ainda mais desnorteante. Um vislumbre do futuro da música, electrónica e não só, que poderemos testemunhar no palco do Amplifest numa data única em Portugal.

AMPLIFEST 2014: VVOVNDS

Artwork by André Coelho


Flying over from their homeland Belgium for an exclusive show, VVOVNDS will unleash their whirlpool of sonic hatred, fast guitars and unconstrained violence all over Amplifest.
Their first demo alone was impressive enough to grant them a slot at Holland’s Incubate Festival, but now that Hypertension Records paired VVOVNDS with their fellow countrymen Amenra – who played Amplifest in 2012 – for the first installment of their “The Abyss Stares Back” series of splits, and with a first full length in the works, the band is all set to grab the underground scene by the neck. Blackened hardcore punk with all levels to the maximum – the faster the better, the angrier the better. Can you handle it?

Bandcamp · Facebook · Video

Para uma aparição exclusiva, os VVOVNDS voarão da sua Bélgica natal até ao Amplifest para aqui desaferrolharem a tempestade que carregam consigo: um incontrolável remoinho de asco, raiva e riffs. Em 2012, com apenas uma demo nas mãos, garantiram um lugar no palco do holandês Incubate Festival. Hoje, os VVOVNDS preparam-se para tomar todo o underground de assalto, armados com o vindouro disco de estreia e, ainda, com o primeiro tomo de “The Abyss Stares Back”, iniciativa da Hypertension Records que os junta num split aos conterrâneos Amenra. Fúria punk e velocidade em níveis máximos, num concerto que se prevê como um dos mais intensos do evento.

AMPLIFEST 2014: ?

Artwork by André Coelho

In this age we’re living, where we are constantly updated with information by our laptops and smartphones and our facebooks and twitters, the element of surprise has mostly been erased from our lives. Amplifest will give back to you a bit of that long lost thrill of expectation as a part of this “experience” thing we keep talking about. How? By adding to the lineup a band that you won’t know you’ll be seeing until the very moment they set foot on stage. That said, let the guessing begin.

?

Nesta era de imediatismo em que, segundo após segundo, somos inundados com informação pelos nossos computadores e smartphones, o elemento surpresa foi praticamente eliminado do nosso dia-a-dia. O Amplifest propõe-se a recuperar um pouco desse quase esquecido sentimento de antecipação como parte de toda a “experiência” que o festival pretende proporcionar. Como? Adicionando ao cartaz uma banda que não será revelada até ao preciso momento em que pisará o palco do Hard Club. Conseguem adivinhar qual será?

AMPLIFEST 2014: BOSQUE

Artwork by André Coelho

Portugal’s own Bosque won’t cheer you up in the very least. Their despair and dirge-laden funeral doom, crafted along almost a decade of existence, is a one way descent into a pit of nothingness and Nowhere, released last year, is their best and bleakest effort to date. Bosque apply dark droning riffs, mournful keyboards and vocals that change between choir-like sung lamentations and grief-stricken growls to build a unique atmosphere that will turn Amplifest into a dark, damp crypt. Let the bells solemnly toll…

Site · Bandcamp · Video

Se é alegria ou conforto que procuram, não será aqui que os encontrarão. Ao longo de quase uma década, os portugueses Bosque têm calcorreado um percurso único com o seu funeral doom prenhe de angústia, do qual o último álbum Nowhere, lançado no ano passado, é o mais forte – e negro – documento até à data. À pesarosamente melancólica união entre as guitarras e os teclados, somam-se as vocalizações que variam entre lamentações quase litúrgicas e tortuosos “growls”, fórmula que, durante o concerto dos Bosque, transformará o Amplifest numa sombria cripta. Por quem dobrarão os sinos?

AMPLIFEST 2014: CONAN

Artwork by André Coelho

Doom metal has been perfecting its genes for over forty years, and Conan are one of the most consistent bands to arise from that evolutionary lineage. Stripping down of any gimmicks or flourishes, Conan’s music is all about bare power. The battering riffs, pummeling drums and the dual shouting of battle cries make the Liverpool trio even more barbaric than their name might suggest. Conan have already achieved a cult status that seems destined to keep growing, and with their new album Blood Eagle already shaping up to become a genre classic, Portugal will finally be able to witness Conan’s teeth-rattling loud performance at Amplifest. Prepare for war.

Site · Facebook · Video

Ainda mais bárbaros do que o seu nome possa sugerir, os Conan são uma das mais entusiasmantes bandas a brotar do fértil movimento do Doom Metal nos últimos anos. Nua de quaisquer adereços ou floreados, a música do trio de Liverpool compõe-se apenas de força bruta e crua – força através do riff, através do assalto à bateria, através dos gritos de guerra. Em poucos anos, os Conan subiram ao panteão do género e tudo indica que essa posição apenas se solidificará com o tempo; prova disto é a recepção ao novo álbum Blood Eagle, que começa a já tomar contornos de clássico instantâneo. A estreia dos Conan em Portugal terá lugar no Amplifest e os decibéis atingirão máximos históricos. Escolham as vossas armas – a batalha está iminente.

AMPLIFEST 2014: ALHOUSSEINI ANIVOLLA

Artwork by André Coelho


Diluted as it might be, there is an African influence deeply ingrained in most of the western music of today – but at Amplifest, African music will be present in its purest state. Alhousseini Anivolla, guitarist and frontman for the Nigerien band Etran Finatawa, carries with him the sounds and scents of the Sahara, crystallized in the traditional Touareg blues music which evokes the wisdom of the ancients and the spirit of the desert nomads. Let’s all gather around in the sands of Hard Club and let Alhousseini enchant us.

Site · Facebook · Video

Mesmo que diluída, a música africana está presente nas raízes da maior parte da música ocidental, nas raízes de quase tudo o que hoje ouvimos – mas no Amplifest os sons de África far-se-ão ouvir no seu estado puro. Originário do Níger, Alhousseini Anivolla – guitarrista e líder dos Etran Finatawa – trará até nós os timbres e o perfume do Saara, cristalizados no tradicional blues touareg evocativo do espírito dos nómadas do deserto. Numa actuação muito especial, o encanto de Alhousseini fará nascer areia no piso do Hard Club.

Post-Amplifest Session: Kadavar

Artwork by André Coelho

KADAVAR + TBA
29/10/2014, QUINTA
HARD CLUB, PORTO
PORTAS 20:30
INÍCIO 21:30

QUERES TOCAR COM O TIM HECKER, KADAVAR, MAYBESHEWILL E AINDA NO AMPLIFEST 2015?

BILHETES
10€ apresentando o passe do AMPLIFEST 2014
16€ normal
Locais de venda: AMPLISTORE, e brevemente no Hard Club, Matéria Prima, Louie Louie e Piranha.
AMPLIPACK 2014
AMPLIFEST 2014 + Tim Hecker + Kadavar + Maybeshewill = 75€
Local de venda: AMPLISTORE

Evento no Facebook

Fosse real a máquina do tempo romanceada por H.G. Wells e os Kadavar torná-la-iam num instrumento obsoleto, pelo menos no que toca à função do regresso à época dourada dos anos setenta. Com o pedal de fuzz alimentado pela sopa primordial do Doom, pela electricidade do Hard Rock e pelo groove do Blues, os Kadavar chegarão ao Porto – em data única em Portugal – como emissários do ácido, das calças boca-de-sino e das barbas espampanantes. A viagem ao passado tem lugar a 29 de Outubro, em mais uma Post-Amplifest Session no Hard Club.

Even if H.G. Wells’ time machine was something beyond fiction, Kadavar would have rendered it useless, at least when it comes to getting back to the golden age of the seventies. With their fuzz pedals turned to eleven and driven by the influence of the earliest doom bands, by the sparkle-dripping electricity of hard rock and by the grooviest of blues, Kadavar will set their foot in Porto – in their only date in Portugal for this tour – and take us back to an acid period full of bell-bottomed pants, fur coats and magnificent beards. The past is scheduled to happen again in October 29, in the form of another Post-Amplifest Session, and taking place at Hard Club.
Facebook · Nuclear Blast ·

Press: press@amplificasom.com
+ info: amplificasom@gmail.com

AMPLIFEST 2014: PETER BRÖTZMANN & STEVE NOBLE

Artwork by André Coelho


Exercendo uma influência contínua no free jazz durante uma carreira que abrange o último meio século, Peter Brötzmann tem no seu nome quase um sinónimo deste género musical – mais de uma centena de gravações no currículo (entre as quais o seminal Machine Gun), incontáveis digressões por todo o planeta e dúzias de colaborações com nomes tão importantes e díspares como Derek Bailey ou Keiji Haino atestam-no. Peter Brötzmann pisará o sempre ecléctico palco do Amplifest para uma actuação em que o seu ruidoso, por vezes violento, saxofone desafiará todas as regras da música. A acompanhá-lo estará Steve Noble, um dos mais relevantes bateristas do panorama da música improvisada e que é também membro dos experimentalistas Æthenor. Uma lenda viva em palco, uma honra para o Amplifest e uma oportunidade imperdível para todos nós.

Site · Facebook · Video

Free jazz wouldn’t be what it is today without the continuously influential work of Peter Brötzmann. The german saxophonist’s defining contributions to the genre span almost fifty years; with more than one hundred records in his portfolio, like the seminal album Machine Gun, Brötzmann has toured all over the world and collaborated with dozens of other influential musicians, from Derek Bailey to Keiji Haino. In another testament to the festival’s eclecticism, Peter Brötzmann will grace Amplifest with his challenging approach to music and the noisy, often violent stream of notes that pours out of his saxophone. Joining Brötzmann on stage will be Steve Noble, who’s one of the most notable drummers in the improv scene and also a member of experimental outfit Æthenor. It will be a tremendous honour for Amplifest and an unmissable opportunity for us all to behold a living legend at work.

AMPLIFEST 2014: HEXIS

Artwork by André Coelho


Os Hexis cumprem eficaz e cirurgicamente a sua missão em palco: numa curta e destrutiva erupção de raiva e blasfémia, agredir-nos-ão violentamente com o seu enlace da fúria hardcore com a velocidade e a impiedade do black metal. Com o primeiro longa duração Abalam nas mãos, mas um já invejável calo de estrada, o colectivo dinamarquês atacará o Amplifest submergindo a sala num vazio de escuridão – e nem sequer conseguiremos vislumbrar o que nos estará a atingir.

Site · Facebook · Video

Hexis won’t need much time on stage to beat us up into a state of near coma. Their live shows are short but maddeningly intense bursts of pure, evil anger that piece together the ferocity of their hardcore punk background with the speed and relentless assault of black metal. Finally presenting their first full length Abalam in Portugal, the Danish outfit will attack Amplifest and immerse the room in pitch black and sickening strobes, only making it harder to realize what has just hit you.

Kylesa: duas semanas depois

Daniel Sampaio

Cláudia Andrade

Com um público que aderiu desde o início e se manteve empolgado e colaborativo ao longo dos concertos, os Kylesa fecharam com chave de ouro o semestre de eventos da Amplificasom.
in Rock n’ Heavy

Daniel Sampaio

Os Kylesa aprenderam com os melhores e emergiram na onda do pós-metal para se tornarem num dos projetos mais interessantes e coesos do metal atual. Ter a oportunidade de os ver ao vivo resulta num sorriso nos lábios, num acréscimo na fatura do massagista e a recordação de um ambiente que merecia perfeitamente casa cheia.
No final dos concertos foi possível assistir ao jogo de futebol Portugal x EUA – projetado após o palco ter sido despido de todo o material. Uma iniciativa incomum, mas que dá algum espaço ao convívio e celebração numa noite a relembrar durante os próximos tempos.
in Ponto Alternativo

Cláudia Andrade

Daniel Sampaio

(…) o prazer de encontrar uns electrificantes Kylesa na sua melhor forma.
in Arte-Factos

Cláudia Andrade

(…) de um lado os Lazer/Wulf e os Kylesa, prontos a debitar energia através da amálgama complexa dos primeiros e do stoner poderoso dos segundos; do outro, o público português, pronto a receber, assimilar e retribuir essa mesma energia, unindo-se à banda num espectáculo que teve pouco de real e muito de transcendente.
in Ruído Sonoro

Daniel Sampaio

Cláudia Andrade


Recordar também é viver. Obrigado a toda a imprensa; obrigado Cláudia, obrigado Daniel.

Yob: Clearing The Path To Ascend

 
I was going through a lot of intense personal revelation, some really intense darkness, and I really threw that into this record. I threw it as hard and as deep as I could.

Mike Scheidt

AMPLIFEST 2014: The first 200 weekend tickets are now sold out

Jorge Silva

Na segunda-feira, às 11h da manhã, colocámos os primeiros 200 bilhetes para o Amplifest à venda, exclusivamente na Amplistore. 48 horas depois esgotaram. Foram 200 bilhetes, não foram dois ou vinte mil, mas é um recorde para nós e queremos mesmo agradecer a todos os que o adquiriram, agradecer do fundo do coração a todos os que acreditaram até agora. Significa mesmo muito para nós.

Como alguns de vocês sabem, o Amplifest é um evento sem qualquer apoio. Não temos patrocínios nem fundos, não temos sequer um “obrigado” da Câmara Municipal por todos estes anos todos de dedicação na nossa cidade – dependemos exclusivamente dos bilhetes vendidos. O que muitos também não sabem é que nenhum de nós vive disto, temos todos os nossos empregos sobrecarregando depois as nossas vidas pessoais em prol da Amplificasom, em prol de todos nós, ansiando sempre por aquele momento naquele concerto que nos vai arrepiar, que nos vai fazer viajar. Porque a vida é isso, é feita de momentos. Estamos a trabalhar há vários meses para que o fim-de-semana de 4 e 5 de Outubro seja inesquecível para todos. Assim será.

Continuam a espalhar a palavra, o Amplifest é vosso!

Mais nomes na próxima semana… E que nomes…

<3

This Monday, at 11 in the morning, we put up for sale the first batch of 200 tickets for Amplifest, sold exclusively at our Amplistore. Only 48 hours later, these are sold out. 200 tickets aren’t two or twenty thousand, but for us it was a record and we really feel the need to thank each and every one of you who bought it, thank each one of you who believed in this, from the bottom of our hearts. It really does mean a lot.

As some of you might know, Amplifest is an event without any kind of financial support. We don’t have any sponsors or funding, not even a mere “thank you” from the City Hall for all these years of dedication to culture – we depend exclusively on ticket sales. What many aren’t aware is that none of us lives off this, we all have our day jobs and Amplificasom leaves us little time for our personal lives. But we do it for all of us, for all of you, and for those special moments when the music makes us drift off. Because, ultimately, life is made of moments. We have been now working for several months, doing everything to make that weekend of 4 and 5 of October unforgettable for all of us. And it will be.

Keep spreading the word, Amplifest is all yours!

We will announce more acts next week…

Luxúria.


A fome por ouvi-lo repetidamente e o desafio de nele encontrar novos impulsos, fazem com que nos requisite muito tempo. No fundo, o melhor que um álbum pode ter: exigir também de nós um esforço para o tentar compreender na sua plenitude, mesmo que isso resulte noutro belo motivo de louvor, ou seja, a capacidade para cada um o entender da sua forma em virtude da matéria quase mística e pouco explicável na música dos Macumbas.

Crítica de Tiago Esteves no Ponto Alternativo ao fabuloso Throat Permission Cut dos HHY & The Macumbas.

Accommodation handpicked by Amplifest 2014


Gallery Hostel Porto
The Gallery Hostel is a new concept of “Luxury Hostel” which contributes to Porto’s artistic initiatives thanks to its Art Gallery and its many cultural events. Beyond the Hostel itself, you will meet dedicated staff members providing a unique and personalized experience to all guests. The Hostel is located in the art district of Porto, next to the main bars and restaurants of its nightlife.

Walking distance to Amplifest: 1,5km – 0,93mi/ 19min
Terms: guests will be housed in a dorm with private bathroom and balcony; breakfast, sheets and wi-fi included.

Special AMPLIFEST price per person/ night:
18,70€ (6 people dorm)
20,40€ (4 people dorm)
54,40€ (double room for 2 people)
Booking: info@gallery-hostel.com (Mention that you own the AMPLIFEST 2014 ticket)
Website


Porto Alive Hostel
Located right in the city’s heart at Flores Street, Oporto Alive Hostel is just 1 minute from São Bento Station (metro/ train). Surrounded by the main square Aliados, monuments, restaurants, gardens and night life.

Walking distance to Amplifest: 350m – 0.22mi/ 6min
Terms: 10 people dorms with balcony and shared bathroom; breakfast, sheets and wi-fi included. Free use of a fully equipped kitchen.

Special AMPLIFEST price per person/ night:
10€ (10 people dorm)
12€ (12 people dorm)
30€ (double room for 2 people)
Booking: portoalivehostel@gmail.com (please mention that you own the AMPLIFEST 2014 ticket)
Website


Tattva Design Hostel
Two beautiful buildings classified as “World Heritage” have been recovered and totally refurbished to make the largest hostel in Porto, with breathtaking views on the higher levels.
Tattva provides a unique experience in terms of comfort: the bunks can be separated by a curtain and have a private reading light, fan and electrical outlet. Located very near the Cathedral. The Train Station and Metro Station “São Bento” are situated 300 meters from the hostel.

Walking distance to Amplifest: 800m – 0,5mi/ 12min
Terms: guests can choose from 4, 6, 8 or 10 people dorms, mixed or female, w/ private bathroom. Breakfast, sheets and wi-fi included. Free use of a fully equipped kitchen.

Special AMPLIFEST price per person/ night:
12,35€ – 10 people dorm
13,30€ – 8 people dorm
14,25€ – 6 people dorm/ 8 woman dorm
Booking: reservation@tattvadesignhostel.com ou +351 939 887 070 (Mention that you own the AMPLIFEST 2014 ticket)
Website

Alojamento escolhido a dedo pelo Amplifest 2014


Gallery Hostel Porto
O Gallery Hostel é um novo conceito de “Hostel de Luxo” que se assume no panorama artístico do Porto graças à sua Galeria de Arte e aos seus diversos eventos culturais. Para além do seu espaço em si, o Gallery Hostel também se diferencia na dedicação de todo o seu staff proporcionando uma experiência única e personalizada a todos os seus hóspedes. O Hostel localiza-se no quarteirão das artes do Porto, junto aos principais bares e restaurantes da noite do Porto.

Distância até ao Amplifest: 1,5km/ 19min
Condições: os hóspedes ficarão alojados em dormitórios com casa de banho privativa e varanda; pequeno-almoço, lençóis e wi-fi incluídos.

Preço ESPECIAL AMPLIFEST por pessoa/ noite:
18,70€ em quarto de 6 pessoas
20,40€ em quarto de 4 pessoas
54,40€ em quarto para 2 pessoas (27.20€ por pessoa)
Reservas: info@gallery-hostel.com (informa que possuis bilhete AMPLIFEST 2014)
Website


Porto Alive Hostel
Localizado no coração da cidade, na emblemática e agora pedonal Rua das Flores, o Porto Alive Hostel encontra-se a menos de um 1 minuto da estação de São Bento (metro/ comboio). Está rodeado pela praça principal Aliados, bem como pelos principais monumentos, restaurantes, jardins e vida nocturna.

Distância até ao Amplifest: 350m/ 6min
Condições: dormitórios com varanda e casa de banho partilhada; pequeno-almoço, lençóis e wi-fi incluídos. Uso livre da cozinha.

Preço ESPECIAL AMPLIFEST por pessoa/ noite:
10€ em dormitório de 10
12€ em dormitório de 6
30€ o quarto duplo (15€/ pessoa)
Reservas: portoalivehostel@gmail.com (informa que possuis bilhete AMPLIFEST 2014)
Website


Tattva Design Hostel
Dois belos edifícios classificados como “Património Mundial”, foram recuperados e totalmente remodelados, de forma a albergar com toda a comodidade o Tattva Design Hostel, o maior no Porto, bem no centro da cidade e com vistas deslumbrantes.
Tattva proporciona uma experiência única em termos de conforto: os beliches podem ser separados através de uma cortina privada e dispõem de luz de leitura, de ventoinha e de tomada eléctrica. Localizado muito perto da Sé Catedral. A Estação de Comboios e a Estação de Metro de São Bento situam-se a 300 metros do hostel.

Distância até ao Amplifest: 800m/ 12min
Condições: os hóspedes poderão escolher dormitórios de 4, 6, 8 ou 10 pessoas, misto ou feminino, com casa de banho privativa. Pequeno-almoço, lençóis e wi-fi incluídos. Uso livre da cozinha.

Preço ESPECIAL AMPLIFEST por pessoa/ noite:
12,35€ – em dormitório de 10
13,30€ – em dormitório de 8
14,25€ – em dormitório de 6/ em dormitório de 8 (feminino)
Reservas: reservation@tattvadesignhostel.com / +351 939 887 070 (informa que possuis bilhete AMPLIFEST 2014)
Website

Marissa Nadler premieres video for “Firecrackers”

 

The lovely Marissa Nadler has just premiered her new video on Stereogum. “Firecrackers” is one of our favorite songs on her latest record July and the video is just as beautiful. Check it out while we wait for her performance at this year’s Amplifest:

 

 

AMPLIFEST 2014: 104 tickets sold in less than 24 hours

Jorge Silva

104 out of 200 weekend tickets were sold in less than 24 hours. Remember: the price will change to 65€. Thank you all!
<3
104 dos 200 passes foram vendidos em menos de um dia. Fica o lembrete: assim que esgote, o passe terá um valor de 65€. Obrigado a todos os que já acreditaram!