Os Heróis e os Métodos: dos caminhos das nossas memórias

null

Prince Far I – Under Heavy Manners (Joe Gibbs, 1977)
“Under Heavy Manners” é um dos melhores discos de sempre no que diz respeito a mesclar a melodia do Roots Reggae e o experimentalismo espacial do Dub. Música infalível em qualquer sistema de som, um trabalho que levita com o seu ritmo lento, com os seus arranjos e efeitos (os famosos delays e reverbs) que tornam cada tema numa experiência única. A voz de Prince Far serve de guia espiritual, autêntico pregador de voz grave, o seu lirismo encontra um ritmo próprio que não estaria muito longe de uma variação hip hop. Completamente essencial para quem sente alguma afinidade com o estilo.

null

Algebra Suicide – The Secret Like Crazy (RRRecords, 1987)
“The Secret Like Crazy” situa-se na chamada new wave e tem como elemento central a poesia de Lydia Tomkiw (provocante, ondulante, mordaz, viciante). Para um disco spoken word e minimal (sobretudo pelos ritmos simples e maquinais que serviram muitas bandas nos anos 80), é incrível a forma como cada tema se revela numa agitação rock (melódica e incisiva). Este disco serve de compilação a uma série de lançamentos que estarão neste momento destinados ao obscurantismo. Vale a pena a descoberta.

null

The Unthanks – Here’s the Tender Coming (EMI, 2009)
Ao ver a lista que Dylan Carlson dos Earth selecionou acerca de alguns dos seus discos preferidos, ficou-me na retina este trabalho das Unthanks. Os elementos centrais são a folk e alguma música country, mas antes que escreva elementos centrais destes estilos, prefiro escrever que é belíssimo. As vozes femininas são extremamente delicadas e doces, lembram o quente da voz de Sibylle Baier (impossível não imaginar um cenário com uma lareira a crepitar e a sua música como pano de fundo) ou a “infantilidade” da Joanna Newsom. Aliás desta última captam igualmente a arte de compor arranjos que quase transportam a folk para cenários fantásticos. Um disco que como certas bebidas melhora com o tempo e ainda bem que o descobri.

null

Acerca do meu retiro em Copenhaga que me levou a não comentar qualquer disco na semana passada, ficam aqui as únicas fotos “musicais” captadas por lá:

null

null

null

null

null

null

Ainda, a excelente instalação de microfones de Shilpa Gupta, Singing Cloud (desculpem não ter captado qualquer som).
null

Comentários

Comentar
  1. Daniel Sampaio

    Pedro, tens ideia do nome do instrumento da 4ª foto (o que vem a seguir ao que parece um alaúde)? Acho que nunca vi nada do género.

  2. Daniel Sampaio

    Ena, já tinha ouvido koras mas achava que eram parecidas com guitarras. Obrigado pela partilha!