CRAFT – Bifes do VAZIO

Foi, em grande parte, graças ao Grande Dilúvio Noventista de lixo nuclearblastiano sansconteúdo+superproduzido, de efluentes de ETARs domésticas (bathroom blackmetal, duh!) descarregados ilegalmente, de lixiviados de aterros sanitários nacionalsocialistas de países de Leste (lol, really?) e de outras formas de cocó menos consistente, que se borrou e deturpou a excelsa criação Grã-Caprina. Actualmente, as principais vias de contaminação e exposição passam pela deposição em massa de outros refugos mais hipsterianos nos poucos terrenos férteis ainda não afectados.
Contudo, pequenos esporos sobreviveram a esta devastação óculosdemassiana, brotando em hifas que se foram juntando em micélios aqui e ali, capazes de desenvolver apotécios semi-fálicos nas carcaças dos heróis caídos, prontinhos a levantar a chama negra, a espalhar a Doença e a Dor que nunca acaba.
Fora de merdas, peguemos então em CRAFT, estirpe perfeita de criptococos provenientes dos bairros de lata suecos e vejamos as suas características micotóxicas:
  • Tradição tronescuro-transilvânico-munchies ?
  • Edição de álbuns quando o Rei faz anos ?
  • Som perceptivelmente orgânico, mas “podre” ?
  • Ausência de manifestos intelectualóide, de camisas de flanela e de merchandise manowariano ?
  • Melodias niilistas cantaroláveis no banho ?
  • Atitude Fuck the Universe (porque the World is not Enough) ?
Ah, e o VOID é o CD de black metal de 2011 do dia.

Comentários

Comentar
  1. Susana Quartin

    A "I Want to Commit Murder" vai fazer companhia à FOAD, que gosto de ouvir e cantarolar sempre que a estupidez extrema de outrém interfere com a minha vida. É remédio santo para animar e voltar a pensar em borboletas e gatinhos fofos.